Histórico

Instituto de Genealogia de Santa Catarina – INGESC

Marcos Henrique Oliveira Pinheiro, nosso primeiro presidente, após ter participado da 5ª Semana de Estudos Açorianos, realizada na UFSC, em outubro de 2004, pelo NEA, Núcleo de Estudos Açorianos, identificou que não existia uma entidade ou um grupo organizado para estudar as outras etnias que formaram o Estado de Santa Catarina como os já existentes nos outros estados.

O evento foi muito proveitoso, pois teve oportunidade de falar com o professor Nereu do Vale Pereira, Walter Piazza e outros, sobre a criação de um Instituto de Genealogia, deram total apoio a ideia. Pediu aos organizadores e fez uma comunicação propondo a criação de um grupo de estudos de Genealogia, a proposta foi bem aceita por todos.

Marcos durante uma visita de pesquisa à Cúria Metropolitana de Florianópolis encontrou Maximiliano Pessoa, e comentou sobre juntar pessoas ligadas a Genealogia e quem sabe fundar um Instituto de Genealogia, do qual recebeu todo apoio.

Pesquisando a Família Jaques pela internet, Marcos encontra a página de Marcos Carpes e resolveu contatá-lo sobre sua idéia, ele também gostou da idéia. Max convidou Geraldo Figueiredo e Jair Paulo da Silva para o grupo.

Foi marcado, o dia 17 de novembro de 2005, o 1º encontro com alguns interessados, na Pizzaria Chico da Ilha, no bairro Carvoeira, em Florianópolis. Na ocasião estavam presentes os pesquisadores: Marcos Henrique de Oliveira Pinheiro, Maximiliano Pessoa, Jair Paulo Mamede da Silva, Marcos Carpes e Geraldo Figueiredo. Contamos ainda com as presenças das esposas Elizabete Zenita Pessoa, Maria Lecy Carvalho, Maribel Reis Vieira e Léa Maria Demétrio. Nessa reunião foram traçados os primeiros planos para a concretização do nosso sonho.
A segunda reunião aconteceu dia 27 de março de 2006, às 19:30 horas, no Choupana´s Bar, de propriedade do cunhado do colega Cesário Simões Júnior, que passara a fazer parte do grupo. Nesta reunião estavam presentes: Marcos Carpes e esposa, Geraldo Figueiredo e esposa, Cesário Simões, Jair Paulo da Silva, Maximiliano Pessoa, Toni Vidal Jochem e Marcos Pinheiro. Foi sugerido que se criasse uma lista na internet, para que todos os interessados na fundação do Ingesc se fizessem presentes, mesmo que virtualmente. Jair Paulo se prontificou a criar a lista, que logo recebeu a adesão de vários colegas. Neste dia também foi proposto à realização de uma terceira reunião.
O terceiro encontro realizou-se na Churrascaria Guaciara, no bairro do Estreito, Florianópolis, no dia 11 de maio de 2006. As 20:30 hs fomos nos deliciar com o farto rodízio de massas e após o jantar nos voltamos para a fundação do Ingesc. O Professor Norberto Ungaretti propôs que criássemos uma comissão provisória para a fundação do Ingesc. A comissão ficou assim constituída:

Presidente – Marcos Pinheiro
Secretário – Jair Paulo Mamede da Silva
Tesoureiro – Fernando César Gomes Machado

Finalizando a reunião, o Prof. Ungaretti fez a doação para o Ingesc da importância de R$ 10,00 (dez reais) para a compra de um livro de Atas.

A quarta reunião aconteceu no dia 13 de julho de 2006, a partir das 19:30, estiveram presentes no salão da Churrascaria Rio-sulense, no bairro Estreito em Florianópolis, para a reunião de fundação do Instituto de Genealogia de Santa Catarina – INGESC os seguintes sócios-fundadores (por ordem de chegada):

1 – Cesário Simões Junior, de São José-SC

2 – Fernando César Gomes Machado, de São José-SC

3 – Maura Soares, de Florianópolis-SC

4 – Marcos Pinheiro, de Florianópolis-SC

5 – Tania Arruda Kotchergenko, de Lages

6 – Sérgio Arruda Kotchergenko, de Brasília, fixando residência em Florianópolis

7 – Willian Agostinho Marques, de Florianópolis-SC

8 – Jair Paulo da Silva, de Florianópolis-SC

9 – Toni Vidal Jochem, de Palhoça-SC

10 – Manoel Scheimann da Silva

11 – Maxmiliano Pessoa, de Florianópolis-SC

12 – Rudinei Hinkel

13 – Geraldo Figueiredo, de Florianópolis-SC

14 – Norberto Ungaretti. De Florianópolis-SC

15 – Janir Brandt, de Salete-SC
Inicialmente falou o presidente da Comissão Pró Fundação do INGESC, Marcos Pinheiro, relatando o histórico das reuniões. Em seguida falou o prof. Ungaretti. Este se ofereceu para redigir o estatuto do Instituto.

O prof. Ungaretti voltou a falar, colocando a necessidade de se institucionalizar o INGESC. Em seguida Cesário colocou a preocupação que teria com os “herdeiros” das bibliotecas particulares, caso não houvesse nenhum interesse na família do dono do acervo: iria para o lixo todo o material? Sugeriu que orientássemos nossos familiares para doá-los ao novo Instituto, ora fundado.

Em seguida falou Jair Paulo, sugerindo que se considere sócio-fundador do INGESC, todos os que se associarem nos próximos 60 dias, como também todos os associados à lista INGESC. Brandt sugeriu que se considere associado todo aquele que tenha contribuído. Toni colocou a necessidade de “socializar a idéia” do Instituto.

A poetiza Maura Soares fez a doação do primeiro livro, de sua autoria, para o acervo do INGESC: A Biblioteca e seus Patronos (Vida e Obra de Francisco Barreiros Filho, Abelardo Sousa e Doralécio Soares). Finalizando, foi então considerado fundado o Instituto de Genealogia de Santa Catarina, com a diretoria provisória composta pela diretoria da Comissão Pró-fundação do Instituto, que providenciarão os registros necessários para a regularização do INGESC.

E assim ficou fundado o INSTITUTO DE GENEALOGIA DE SANTA CATARINA, em 13 de julho de 2006, que na data do registro no cartório contava com 42 associados fundadores. E neste ano de 2018 estamos completando 12 anos, já chegamos a inscrição de número 99.